credito

 

 

Inicialmente pensada para profissionais da área da saúde, desde maio de 2016, o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil em Roraima (Sicoob UNIBV) se tornou de livre admissão de associados. Com pouco mais de 700 cadastrados, movimentou aproximadamente R$ 12 milhões em operações de crédito em 2017.

Buscando aumentar ainda mais a oferta de crédito e o número de associados, será firmado o termo de cooperação técnica para trabalhar a divulgação do Sistema Sicoob por meio de intercooperação. O documento será assinado entre a Sindicato e Organização das Cooperativas do Brasil em Roraima (OCB/RR) e a Sicoob UNIBV.

 

Em reunião realizada nesta quinta-feira (05/04), na sede da OCB/RR, representantes da Sicoob UNIBV e da Sicoob de Goiás - a maior do Brasil com mais de 100 unidades de atendimento e 70 mil cooperados - apresentaram o sistema de operação de créditos e as vantagens da livre admissão de associados, como geração de trabalho e renda que fortalecem a economia local. A meta é audaciosa: chegar a todas as 70 cooperativas que hoje são registradas em Roraima e que possuem mais de 27 mil cooperados, muitos deles aptos a oferta de crédito.

 

“O mercado exige profissionalismo e o dinheiro é livre. Com a expansão de livre admissão qualquer pessoa pode pleitear ser cooperada da Sicoob. Só em 2017 eles emprestaram R$ 12 milhões e a intenção é ir para R$16 milhões. Com a intercooperação vai melhorar muito a atividade finalística de todos os ramos”, destacou o presidente da OCB-RR, Silvio de Carvalho.

 

O presidente do Conselho Administrativo do Sicoob UNIBV, Ailton Fernandes, citou o trabalho desenvolvido pela OCB de Roraima para fortalecer o cooperativismo. “Como única cooperativa de crédito do Estado queremos uma parceria para isso. A nossa cooperativa gera empregos, renda e o dinheiro fica no Estado fortalecendo a nossa economia. Estamos hoje com R$ 18 milhões de ativos. Até pouco tempo éramos uma cooperativa segmentada a profissionais da área da saúde, mas hoje somos de livre admissão e com isso atendemos a qualquer classe de trabalho”, disse.

 

Para o superintendente da Central Sicoob UNI de Goiás, José Marcos Dutra, a intenção é defundir o cooperativismo, estar presente e firmar parceria com o representante local. “Ao mesmo tempo trabalhar a movimentação de recursos. A lei complementar 161/18 possibilitou as cooperativas a administrar recursos do município e do Sicoob e se puderem movimentar uma parcela disso conosco será muito importante”, ressaltou.

 

VANTAGENS - As cooperativas oferecem várias vantagens quando comparadas às instituições financeiras tradicionais. A pessoa que ingressa não é cliente, mas sim associado e como tal tem obrigações e direitos, participando das gestões das cooperativas, produtos e serviços em condições mais atrativas, surgindo como alternativa viável para pequenos, médios e grandes empresários com recursos mais baratos e produtos e serviços bem atrativos.

 

 

Qualquer pessoa pode se tornar sócia de cooperativa. Basta apenas ingressar com valor mínimo de cota de capital. No caso da Sicoob, a cota mínima é de R$ 20. Uma das vantagens é que, enquanto o cheque especial fica em média 11% ao mês nos grandes bancos, nas cooperativas é de 5,5%. O crédito pessoal é um terço do valor. Nas cooperativas a média é 2,1% ao mês.

 

NÚMEROS - Para 2018, os números devem continuar em alta. O Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob) estima crescimento de pelo menos 10% nos negócios, o que mostra o descolamento do sistema da crise econômica brasileira. E as cooperativas, que tiveram origem no setor agrícola – caso da Sicredi, que tem mais de 100 anos –, agora se espalham por todos os setores. O contingente tem feito as instituições crescerem em ritmo acelerado. Na média, 20% ao ano – acima dos 16% que foram registrados pelos grandes bancos ou dos 11% de avanço dos bancos médios. Em uma cooperativa de crédito há todos os serviços e produtos oferecidos por bancos comerciais, como consórcios, poupança e financiamento rural.

 

SICOOB - O Sicoob é o maior sistema financeiro cooperativo do país com mais de 4 milhões de cooperados e 2,6 mil pontos de atendimento, distribuídos em todo Brasil. É composto por cooperativas financeiras e empresas de apoio, que em conjunto oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, meios eletrônicos de pagamento, dentre outros.