IMG 20180630 WA0067

 

Maior evento de voluntariado do país envolvendo cooperativas levou um dia de lazer, saúde e cultura a quase 700 venezuelanos que vivem em abrigo de Boa Vista

“Atitudes simples movem o mundo”. Para os quase 700 venezuelanos que vivem no abrigo do bairro Jardim Floresta, na zona Oeste de Boa Vista, o lema do Dia de Cooperar 2018 (Dia C), maior evento de voluntariado do Brasil que envolve cooperativas de todos os Estados, serviu como oportunidade e esperança por dias melhores.

Cerca de 40 cooperativas roraimenses, com o apoio do Sistema OCB/RR (Sindicato e Organização das Cooperativas do Brasil em Roraima), do ACNUR (Agência da ONU para Refugiados), Exército Brasileiro e outros parceiros, realizaram na manhã deste sábado, 30, pouco mais de 4 mil atendimentos aos estrangeiros abrigados.

Entre os dias 25 a 29 de junho também foram ministradas oficinas durante com cursos profissionalizantes, certificados pelo Sescoop (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo). Entre os cursos, houve reciclagem; língua portuguesa; artesanato em jarros para jardim; oficina de massa de modelar; escultura em balões e arte circense.

A venezuelana Neves Pulgar, de 32 anos, era confeiteira no país vizinho e veio para o Brasil com os quatro filhos. Ela chegou a morar na rua por dois meses e há quatro vive no abrigo para imigrantes. Nem mesmo as dificuldades tiraram dela o sorriso de quem é apaixonada pelo circo. A estrangeira ganhou até nome de palhaça depois de participar da oficina circense. A palhaça "Bombom" disse que encontrou na oficina a maneira de sorrir. "Eu quero levar alegria para as pessoas e trabalhar como palhaça no Brasil", contou.

Além de Neves, outros 171 imigrantes, sendo 91 adultos e 80 crianças, participaram dos cursos e oficinas. Durante o Dia de Cooperar, foram oferecidos serviços da área de saúde, como tipagem sanguínea; aferição de pressão arterial; verificação de IMC e glicemia; orientação de saúde bucal, entre outros. Os imigrantes também puderam dar uma repaginada no visual com corte de cabelo e depilação gratuitos.

A manhã também foi de cultura, esporte e lazer. As crianças se divertiram com as pinturas faciais realizadas por palhaços caracterizados e playground infantil. Já os adultos dançaram ao som de músicas caribenhas e brasileiras, com direito a banda. A apresentação do Balé Infantil “Coopbon” foi atração à parte e emocionou a plateia estrangeira.

Para o presidente do Sistema OCB/RR, Silvio de Carvalho, as atividades desenvolvidas durante o Dia de Cooperar foram apenas a pequena amostra do que as cooperativas desenvolvem. “O sistema cooperativo consiste na promoção e estimulo da realização de ações voluntárias diversificadas em cada município. São atividades ligadas a cultura, educação, responsabilidade socioambiental, saúde, esporte e lazer. Nossas cooperativas praticam isso de janeiro a dezembro”, destacou.

Segundo ele, a escolha do abrigo como palco do “Dia C” foi a oportunidade de contribuir com os venezuelanos em meio ao difícil momento pelo qual passam. “Comemoramos o Dia Internacional do Cooperativismo no primeiro sábado de julho. Este ano, excepcionalmente, realizamos em junho e pudemos levar nossa contribuição às várias crianças e adultos que vivem no abrigo”, disse.

O presidente da Cooperativa Minerar, Lino Oliveira, também destacou o espírito de voluntariado durante o Dia de Cooperar. “É mais uma edição do evento que estamos ajudando. Esse ano está sendo no abrigo dos venezuelanos e nós como apoiadores estamos sempre ajudando no que for preciso”, frisou.

NÚMEROS - Segundo o estudo, realizado de 28 de maio a 9 de junho, o Exército Brasileiro contabilizou que 12 mil venezuelanos estão cruzando a fronteira, mensalmente, para entrar no estado de Roraima, com uma média de 416 imigrantes por dia. Destes, 2.700, equivalente a 22% do total, opta por permanecer no município de Boa Vista.

Atualmente, cerca de 25 mil imigrantes residem na Capital, um equivalente a 7,5% da população da cidade. A pesquisa entrevistou 9 mil deles, o que representa 36% de todo o universo de imigrantes estudados.

COOPERATIVAS PARTICIPANTES- Coopebras, Coopbon, Unitap, Coophorta, Coofec’s, Sicoob, Unibv, Cootrap, Cootai, Uniodonto/RR, Coopana, Coopai, Coop’agi, Cootar, Cootap, Cootaf, Cootaxi, Coopercarne, Cootam, Cootac, Cootram, Coopercinco, Minerar, Trans-Animal, CPHBV e Coopersol.